6 dicas indispensáveis para o uso da piscina no condomínio durante o verão

No Senado Federal tramita o Projeto de Lei Complementar 71/2014, que dispõe sobre a prevenção de acidentes em piscinas no Brasil. A nova lei tem como intuito proporcionar maior segurança aos banhistas e ainda diminuir o índice de acidentes em piscinas de clubes, públicas ou de condomínios.

A preocupação não é atual, pois muitas cidades brasileiras já possuem leis de segurança próprias para o uso de piscinas. Cidades como Belo Horizonte, Sorocaba e Santa Catarina são alguns exemplos.

Diante disso, apresentaremos neste artigo, 6 dicas indispensáveis para o uso da piscina no condomínio durante o verão.

  1. Deveres coletivos

Com certeza, a piscina é um dos locais mais frequentados em um condomínio, principalmente nas estações mais quentes. Por isso, para uma convivência saudável e uso correto do espaço, é importante que todos conheçam as regras e cumpram seus deveres. Confira alguns pontos essenciais:

Uso do chuveiro

É imperativo que seja instalado um chuveiro próximo à piscina. O mais importante é que todos os frequentadores utilizem o equipamento antes de entrar na piscina. Evitando que protetores solares, cremes de cabelo, entre outros, contaminem a água.

Brinquedos

Mesmo na piscina infantil é recomendável evitar o uso de brinquedos. Principalmente àqueles que podem provocar acidentes, tais como, bolas, petecas, bicicletas etc. Boias e objetos para a segurança das crianças, podem ser usados de maneira correta.

Comidas e bebidas

Para conservar a água limpa, é importante que não se faça uso de comidas e bebidas ao redor da piscina. Além disso, pessoas que ingeriram bebida alcoólica devem ter cuidado redobrado na hora de entrar na água.

Som

A piscina é um espaço coletivo dentro do condomínio. Nesse sentido, é recomendável que cada um ouça o seu som individualmente, fazendo o uso de fones de ouvido.

Animais

Deve ser proibida a circulação de animais na área da piscina a fim de evitar acidentes e manter o local sempre limpo.

  1. Visitantes e parentes

Cada condomínio deve decidir sobre o limite de visitantes e parentes na área da piscina. Isso precisa ser feito em assembleia e todos os moradores devem estar cientes das regras e punições referentes ao tema.

  1. Crianças na piscina

Sem dúvida, as crianças devem ser a principal preocupação no espaço da piscina. Para trazer maior tranquilidade e segurança é essencial definir algumas regras:

Criança desacompanhada

É importante que o condomínio, em assembleia, decida qual é a idade mínima para que as crianças permaneçam desacompanhadas na área da piscina. Porém, é imprescindível que menores de oito anos não façam uso da piscina sem a supervisão de um adulto.

Uso da piscina de adultos

As crianças devem sempre utilizar a piscina infantil. O uso da piscina de adultos só pode ser feito com os pais ou responsáveis.

  1. Manutenção

Para manter a água e o espaço limpos, a piscina deve receber manutenção toda semana. O tamanho do condomínio é um dos fatores que o síndico precisa considerar na hora de definir o tipo de manutenção que será feita.

Por exemplo, em condomínios menores, com poucas torres, o zelador ou faxineiro podem realizar o trabalho. Caso essa seja a decisão, é essencial que o profissional passe por um treinamento e faça uso de EPI’s (equipamentos de proteção individual) adequados para esta tarefa.

Já em locais maiores, é interessante que a manutenção seja feita por uma empresa terceirizada, pois a utilização da piscina é mais intensa. Nesse cenário, o condomínio deve acordar quem vai arcar com os produtos de limpeza e outras ferramentas – sempre colocando em contrato.

  1. Mobiliários (guarda-sóis, mesas, cadeiras)

A água da piscina não é a única que deve ser bem cuidada no espaço. Mobiliários, como mesas, cadeiras, guarda-sóis e escadas também merecem atenção especial.

O condomínio, também em assembleia, deve definir regras para o uso desses equipamentos, bem como punições para quem danificá-los.

É importante também colocar sinalizações no local, descrevendo informações como profundidade da piscina e apontando locais, como banheiro, chuveiro etc.

  1. Ralos da piscina

Nos últimos anos, muitas leis foram criadas após acidentes com os ralos das piscinas. Por isso, a vistoria e a manutenção da ferramenta devem ser feitas com toda atenção.

Hoje, já existem os ralos anti sucção, que cortam a sucção assim que detectam a obstrução do ralo, evitando acidentes e até mesmo afogamentos.

Caso haja alguma reclamação por parte dos frequentadores, deve-se interromper o uso da piscina e contatar a empresa de manutenção.

Para garantir a segurança e a diversão de todos, é imperativo a definição de regras nas assembleias e o monitoramento constante sobre as condições da piscina. Assim, todos podem utilizar e aproveitar bastante de um dos melhores espaços dentro de qualquer condomínio, principalmente no verão.

Com cuidado, respeito e regras, a piscina deve ser usada sem moderação.

Fonte: PROAD-SP